vai uma visita a bragança?

Amanhã, da parte da tarde, estarei por aqui… a falar sobre a intervenção nas toxicodependências.

36 Comments

  1. Será uma intervenção sob o ponto de vista social suponho eu….Falta ai alguém da área da saúde, não??? Tipo médico ou psicólogo!Seria importante ouvir uma intervenção de alguém dessa área!

  2. Será uma intervenção, obviamente, do ponto de vista do trabalho social.Um médico seria interessante, certamente…

  3. Claro que sim.As ciências sociais poderiam estar melhor representadas.Foi a escolha da organização

  4. eheheh…isso não sei…Mas a psicologia, como profissão da saúde, deveria estar…Ou seja, num encontro sobre toxicodependência deveria haver, pelo menos, um técnico de sáude mental!Deste modo, acho que falta ai outro ponto de vista!

  5. Como lhe disse foi uma escolha da organização.Por acaso também poderiam ter escolhido um trabalhador social que trabalhasse nessa área, mas optaram por mim…E eu estou agradecido, claro.Mas acredito que tenha sido pelo facto de a instituição ter uma Equipa de Intervenção Directa e eu ter sido coordenador também duma equipa deste tipo. Certamente nada terão contra psicólogos, até porque existem vários na referida equipa

  6. Caro Valério, nada tenho contra ter sido escolhido…nem faria sentido ter!Só acho que nesta temática, a intervenção de um técnico de saúde mental, psicólogo ou psiquiatra, seria desejável, sob pena de faltar qualquer coisa…

  7. Seria sem dúvida interessante alguém da área da psicoterapia da área da toxicodependência.Alguém com a formação base na área das ciências da saúde (medicina) ou da área social (psicólogo ou trabalhador social).Isto porque embora seja trabalhador social, não tenho formação de especialidade em psicoterapia, claro.

  8. ehehehe…la está você….acho que já lhe tinha explicado, eu e alguns colegas meus que passaram por aqui, que a psicologia não é da área das ciências sociais…mas onde é que você foi buscar essa ideia?Mas…não vou começar a discussão outra vez! Os argumentos ja foram esgrimidos o suficiente!É uma discussão estéril, já que existem áreas da psicologia que tocam as ciências sociais, como outras que tocam as ciências da saúde!Na essência um psicólogo é um técnico de saúde (mental)! Logo não parece haver motivos para por isto em causa!Mas o que eu queria dizer..está relacionado com a ausência de um técnico de sáude mental no referido encontro! Just that!

  9. O facto de explicarem a vossa opinião não significa que eu concorde com ela, especialmente quando instituições de responsabilidade (como o CRUP) ou que formam psicólogos (como a Universidade do Porto) enquadram a psicologia dentro das ciências sociais.Mas não rejeito que todos eles possam estar errados.Relativamente à ausência concordo consigo. Já acima o tinha referido

  10. Olhe, nem sei porque carga de àgua essas instituições a classificam assim! Mas acredite que isso é um erro epistemológico grave!Sobre a psicoterapia, bem, acho que você já sabe a minha opinião!Como diz um colega meu, psicoterapias há muitas….até a cabeleireira é psicoterapeuta…ehehehe…mas a terapia psicológica deverá ser exercida apenas por quem tem competências e legitimidade para diagnosticar doenças ou perturbações psicológicas..e essas competências só são aquiridas com um curso de medicina ou psicologia, ou seja, cursos que formam técnicos de saúde!

  11. Quanto ao erro, a ser erro, é estranho que tal aconteça nas principais instituições do país, secundadas pelo Sector Científico da União Europeia…Quanto à psicoterapia, apenas me refiro ao que instituições como “European Federation for Psychoanalytic Therapy in the Public Sector” e a “World Counseling for Psychotherapy”, que certamente conhece referem ao nível das formações iniciais que dão competências para a prática da psicoterapia, desde que complementadas com formação especializada.

  12. Quanto à classificação…é como lhe digo…um erro clamoroso! Mas…a psicologia é assim, ou melhor, tem sido alvo de equívocos permanentes…Se pensar um bocadinho, vai perceber…mente,…cérebro, comportamento humano e animal, processos psicofisiológicos…adiante!Sobre a psicoterapia…é como lhe digo…depende do que você entende por psicoterapia!Senão veja… em termos simplistas, uma terapia é um tratamento, certo? Um tratamento só faz sentido se aplicado a uma doença ou perturbação/ desajustamento! Certo?Ora..se existe patologia, perturbação, quem diagnostica?Sob o ponto de vista técnico, científico, ético quem tem competências para diagnosticar?Isto tudo para lhe dizer que só faz sentido utilizar as terapias psicológicas quem tem essas competências! Mas atenção, que como você diz e muito bem, só após formação pós graduada!

  13. Quanto ao pseudo-erro não deixa de ser estranho que esse erro surja em instituições onde estão pessoas de referência da sua profissão em Portugal;Quanto à competência, e segundo essas associações que referiMinimum requirements for the certificate level: […] Applicants should be graduates in medicine, psychology, social work or hold an equivalent university degree. They should have some professional experience of working with children and/or adolescents of at least 2 years and should be assessed for their personal suitability. E, na minha opinião, a equipa toda, sendo a intervenção realizada de acordo com as causas principais da patologia… embora todos os possam fazer utilizando para tal modelos teóricos específicos das suas profissões.

  14. Calma, calma a falar tudo se resolve: assim proponho deste já e unilateralmente que o psicólogo pertença à área da medicina, logo equiparados a médicos…Sempre pensei que essas manias se limitavam a ser do Benfica ou do porto… afinal aqui também existem clubites?

  15. Essa dos clubes seria desnecessária….aqui ninguém pertence a nada e muito menos tem pretensões a pertencer a qualquer grupo profissional, que não os psicólogos! A psicologia não “pertence” à medicina! Agora “meter” a psicologia no saco das ciências sociais é reduzi-la a uma coisa que ela não é! Melhor, é muito mais do que isso…é uma ciência social e é uma ciência da saúde! E de psicologia sabem os psicólogos!Quanto à psicoterapia…é chover no molhado! Não tem a minima lógica, profissões fora das que eu já referi, tentarem fazer aquilo para o qual não têm competência nem legitimidade científica! Mas já que houve alguém que se referiu à medicina, que não é a única ciência da saúde, um leigo fazer psicoterapia, como um assistente social, ou outro qualquer,é a mesma coisa que por esse mesmo leigo a fazer cirurgia! Nâo faz o minimo sentido!Se um técnico da área social quizer “tratar” terapeuticamente alguém, talvcez fosse boa ideia darem-lhe outro nome, que não psicoterapia!MAs como diz o meu colega, psicoterapeutas há muitos….

  16. Uma ciência social e uma ciência da saúde, as duas duma vez. E aina fala em erro conceptuais…Concordo consigo que de psicologia sabem os psicólogos, mas não deixa de ser interessante que das outras áreas não se possa dizer o mesmo. É que se eu dissesse que de trabalho social sabem os trabalhadores sociais, você não concordaria, porque o que mais faz (por aqui) é criticar e por em causa as competências destesQuanto à psicoterapia…sugiro-lhe apenas, permita-me, que então ponha em causa as associações internacionais que como lhe disse não concordam consigo. Mas serão certamente essas associações que estão erradas.É que, como de trabalho social sabem os trabalhadores sociais, digo-lhe que estes podem fazer psicoterapia. Têm as suas metodologias práticas e teóricas específicas. Mas que podem, podem. E até as associações internacionais de PSICOTERAPIA o defendem. Mas, mais uma vez, estarão certamente erradas. E o Manuel estará certo…Quem são estas associações… quando comparadas consigo…

  17. Aliás, agora entendo a confusão que possa existir (segundo as suas palavras) na psicologia. Refere às 21:52:a psicologia não é da área das ciências sociais…mas onde é que você foi buscar essa ideia?Refere às 22:05:isso [enquadrar a psicologia nas ciências sociais] é um erro epistemológico grave!Refere às 03:41:“meter” a psicologia no saco das ciências sociais é reduzi-la a uma coisa que ela não éé uma ciência social e é uma ciência da saúde

  18. Vá lá….MAV, saiba interpretar correctamente as minhas palavras!Não existe contradição nenhuma no que eu disse!Mas até não era discussão que estava em causa…Quantp aos trabalhadores sociais…claro, que são eles que sabem de trabalho social! Mas aqui falamos de psicoterapia, ou melhor de terapia psicológica…que é uma área da psicologia!E desculpe-me, mas um leigo não pode ser “psicoterapeuta”!O mais importante para mim aqui, é que apenas referi, que num encontro sobre intervenção na toxicodependência me parece errado a não comparência de um técnico de saúde mental, psicólogo ou psiquiatra, ou seja, um especialista nos aspectos psicológicos envolvidos na compreensão e na intervenção desta adicção!

  19. Era uma pequena picardia… mas as suas palavras são interessantes, mas isso é um assunto para debate entre psicólogos.Obviamente que um leigo não pode fazer psicoterapia mas, como já entendeu eu defendo que a psicologia não é “detentora dos direitos” da psicoterapia, e que a esta podem aceder (enquanto profissionais, claro) outras profissões. É isso que nos destinge. Ou seja, não considero os trabalhadores sociais leigos na área da psicoterapia, pelo contrário.Mas aceito que, para quem apenas conhece aquela que foi a realidade recente da formação em serviço social em Portugal (que não foi a minha) possa parecer estranho esta defesa. Mas para quem conhecer a realidade da formação em “social work” lá por fora (nos países anglo-saxónicos – uma realidade muito mais perto da minha formação) tal defesa não é estranha. Pelo contrário.Bastará dizer que, é habitual (nos EUA, por exemplo) que as instituições que têm gabinetes de psicoterapia tenham a exercer psicólogos clínicos e trabalhadores sociais clínicos. E é exactamente neste sentido que caminham as instituições internacionais que acima lhe referi,Neste momento não tenho essa informação comigo, visto ter emprestado o manual a uns alunos, mas brevemente deixarei a informação qual a percentagem de trabalhadores sociais clínicos no âmbito do exercício da psicoterapia.

  20. “A psicologia não “pertence” à medicina! Agora “meter” a psicologia no saco das ciências sociais é reduzi-la a uma coisa que ela não é! Melhor, é muito mais do que isso…é uma ciência social e é uma ciência da saúde!”Bem que vocês psicólogos trabalhadores sociais, etc, etc. se baralhem uns aos outros ainda vá que não vá (penso que devem ter bons descontos praticados entre colegas), mas baralhar os meros e reles indivíduos que não são formados em coisa nenhuma muito menos nas “artes do oculto” como já lhes ouvi chamar vai um passo muito grande!Então diga-me lá se a psicologia ultrapassa as ciências sociais e é até uma ciência da saúde porque não considerá-la também uma engenharia, ou até melhor e mais adaptada considera-la uma ciência do desporto!Não se assuste eu explico, dado a complexidade da mente Humana (demonstrada até pelos comentários que por aqui vou lendo), agora até existe psicologia desportiva…Só não me entra na cabeça uma coisa… e dado os conhecimentos de V. Exas, é que se a psicologia é isso tudo e mais além porque existem tantos psicólogos no desemprego? Será que a sociedade não vê a capacidades desta força adormecida?

  21. Os comentários do RONIM, ou lá o que é, sâo uma treta! Mistura tudo e volta a baralhar, misturando, coisas que não são comparáveis!Psicologias há muitas é verdade! E aqui falamos de psicologia aplicada, coisa que o Ronim, nem deve saber o que é!O trabalho social é muto diferente da psicologia! Têm origens distintas, percursos distintos, histórias distintas, objectos distintos…etc.etc…!Sobre a psicoterapia, bem…o que quer que eu lhe diga?A minha opinião, e não é só a minha, é que qualquer profissão que não seja da área da saúde, e aqui estou a referir me à psicologia e à medicina, se considera como leiga nesta área! Isto não é campo para curiosos! Eu sei o que voê me está a contar! Nos EUA e Inglaterra, realmente isso acontece….mas é triste que assim seja, uma vez que ainda me vão conseguir explicar como raio é que vocês vão diagnosticar patologias, avaliar psicologicamente alguém e por ai fora!!! É inconcebível e incompreensivel! A área das psicoterapias, não é domnino exclusivo da psicologia, é verdade! Psicoterapia, pode ser qualquer coiisa, até uma conversa com um taxista…mas terapia psicológica, essa é, e deverá ser do dominio da psicologia!

  22. Agora fiquei curioso…Antes de continuarmos esta conversa, vai ter que me explicar uma coisa: Quais são as origens, percursos, histórias e objectos do trabalho social.Ficarei à espera da sua resposta. E não quero uma “não” resposta. Quanto ao resto, são opiniões.Até lá…

  23. M Valério,Apenas sei que o percurso histórico do trabalho social não tem nada de comum com a psicologia, e estou a falar sob a prespectiva de alguém que conhece a história da psicologia e não a do trabalho social! Ou seja, nunca ouvi falar de alguma coisa em comum com o trabalho social, seja na origem, evolução, prespectivas, métodos, objectos etc… etc…Sei apenas que alguns cursos da área social, como o seu, vão buscar ensinamentos à psicologia e a outras áreas! Se o trabalho social se quer colar à psicologia…bem…isso é outra história! E teríamos muito que discutir sobre o assunto! Bem vê que não estou a ir ao encontro daquilo que você pretende! Por não falar de trabalho social, que é uma área que eu, em grande parte, desconheço, mas se me qusier elucidar terei todo o gosto em aprender!No entanto, no fundo, não é isto que se pretende! A discussão começou por que eu achei que num encontro sobre dependências, seria imprescíndível a presença de alguém da área da sáude mental!Mas o que é que quer que eu lhe diga? Você parece desconversar sobre o assunto, ignorando as minhas palavras! A menos que você ache que um trabalhador social pode falar sob esssa prespectiva que como sabe, cabe a um psicólogo ou psiquiatra! Como se costuma dizer, cada macaco no seu galho! Não acha?

  24. Uma nota inicial: quando fazemos uma comparação devemos conhecer as duas áreas minimamente, e não apenas uma delas.O trabalho social não se cola à psicologia, mas teve momentos em que foi buscar ensinamentos a essa área (como a outras), embora não faça uma aplicação directa à prática do trabalho social. Esses modelos teóricos, são devidamente adaptados aos objectivos, princípios e práticas da profissão e cientificamente testados.Relativamente ao evento, e sendo que como já referi, nada tive a ver com a organização do mesmo, já anteriormente disse que, realmente seria interessante ter mais perspectivas sobre a intervenção (psicólogos, médicos, sociólogos). E respondendo-lhe directamente (alguém terá que o fazer) um trabalhador social pode falar sob essa perspectiva, porque, como sei (se de psicoterapia – com especial incidência na familiar – estivermos a falar), não cabe apenas a um psicólogo ou psiquiatra

  25. Aliás…continuava a dar conta do recado…falando das questões psicofisiológicas por detrás das dependências…como neurotransmissores e vias nervosas envolvidas no processo! Dava conta , não dava???Pois…imagino que sim!Desculpe a expressão, mas sem ofensa, não vê o ridiculo daquilo que disse?

  26. Porque acredito que as profissões são complementares e mesmo dentro da mesma área conseguem contribuir com os seus saberes específicos sem anularem as restantes.Porque defendo que só assim se contribuirá para o objectivo último da intervenção: o bem-estar completo dos indivíduos.Se não acha isso, se se considera acima das restantes profissões, se não aceita os saberes, as práticas, as teorias e as competências dos outros profissionais e as recusa liminarmente, mesmo não as conhecendo nem estando a par das mesmas… não terei mais nada para lhe dizer…

  27. Dentro da mesma àrea? Qual? Você acha que psicologia e trabalho social estão dentro da mesma área???A mim não me parece! Você é da área social! Se trabalhamos no mesmo local, ai sim, estamos a trabalhar na mesma área! Fora isso…não me parece!Quanto ao resto, você percebeu a minha ironia! Espero que sim! Se não é mais grave do que eu pensava…

  28. Sim, estava a falar da área de actividade profissional e não da área científica. Nesta, não me meto, até porque mesmo dentro das mesmas parece não existir entendimento.

  29. Caro manuel… pelos vistos a coisa vai mal por esses lados então V. Exa afirma que “… Isto não é campo para curiosos! Eu sei o que voê me está a contar!” logo depois de me acusar de baralhar as cartas?Desculpe ser tão frontal mas as suas opiniões não passam de prostituição intelectual (e espero que saiba a origem do termo).Fala de psicologia aplicada como se de um santo graal se tratasse, isola-se numa área que considera exclusivamente sua, (essa mania do meu quintal é melhor e maior que o teu…), evola-a homem!E se não sabe o significado do nick Ronin (ou lá o que é)… Google it !

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google photo

You are commenting using your Google account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.